LOGOANIMEFINE.gif

DOSSIÊ COVID NO TRABALHO

logo grande 300 pb.jpg

Gama, em fevereiro. Alguns dias depois de voltarem para o Brasil, ela deu uma festa para 400 pessoas, de lançamento da sua biografia Não, não é resposta, escrita por Ignacio de Loyola Brandão.

Quando foi internada, em 18 de março, o Ministério da Saúde, registrou 428 casos de contágio e apenas quatro mortes. Ao sair do hospital, em 10 de maio, eram mais de 161,6 mil casos e 11 mil mortes pelo vírus no país.

Renascida aos 88 anos

Angelita Habr-Gama

Gastroenterologista, cirurgiã do Hospital Alemão Oswaldo Cruz,  adoeceu em março de 2020 e passou 50 dias intubada

São Paulo, 88 anos

"Não achei que resistiria", disse Angelita ao repórter da BBC News Brasil, ao voltar para o trabalho no centro cirúrgico do Oswaldo Cruz em junho. Ela adoeceu no início da pandemia, teve os pulmões afetados e passou 50 dias no respirador. Especialista em coloproctologia, área que estuda doenças do intestino, grosso, reto e ânus, a médica havia viajado para a Europa e Israel com o marido, o também médico Joaquim José