Pandemia

5 de junho de 2020

Surto de covid-19 no noroeste do Estado de São Paulo ameaça abastecimento

Um velório na pequena cidade de Cândido Rodrigues pode ter provocado o surto que já interrompeu o tráfego e ameaça se espalhar pela região, responsável por 40% da produção nacional de frutas

LILIAN PRIMI

A prefeitura de Taquaritinga interrompeu essa semana as duas vias de ligação dos distritos de Jurupema e Vila Negri à cidade de Cândido Rodrigues, na região Noroeste do Estado de São Paulo. O trânsito dessas vias, formado principalmente por distribuidores que fazem a colheita e o transporte de frutas da região, foi desviado para a rodovia Washington Luís, e direcionado para barreiras sanitárias instaladas na entrada de Taquaritinga. A medida foi tomada pelo prefeito Vanderlei Mársico, segundo notas da assessoria de imprensa da cidade, “após a prefeitura da cidade vizinha endurecer as medidas de isolamento social.” 

Nas redes sociais do pessoal que transita por ali, a informação que circulou é de que havia um surto de covid-19 descontrolado em Cândido Rodrigues, onde mais de 20 pessoas teriam sido contaminadas no velório de um parente morto pela doença. A Prefeitura estaria monitorando 63 pessoas que compareceram ao velório. “Está fora de controle lá”, disse um motorista. Outro, ao avisar o companheiro sobre as barreiras, justifica: “É para amenizar, porque parece que eles não estão fazendo nada lá em Cândido, não estão usando máscaras, nada”.

Taquaritinga, com 57 mil habitantes e 11 casos de covid-19 confirmados, é conhecida como “capital da goiaba”, sede da maior fábrica de goiabada da América do Sul, a Guari Fruits, e os 800 produtores instalados ali, 70% deles com propriedades de menos de 50 hectares, também plantam carambola, maracujá, abacate, lichia, tangerina, soja e amendoim, produzem leite e carne. A região é responsável por 40% da produção nacional de frutas e pelo abastecimento dos mercados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. 

“Esse surto é muito preocupante, porque de um lado vai afetar os trabalhadores na colheita, os agricultores familiares que também lidam com as lavouras e vai impactar no abastecimento interno de frutas. Pode ainda servir de vetor de disseminação”, alerta o engenheiro agrônomo Osvaldo Aly Junior, pesquisador do Núcleo de Pesquisa e Documentação Rural (Nupedor), da Universidade de Araraquara.

Cândido Rodrigues tem apenas 2.668 moradores e segundo o IBGE, 10 foram contaminados. Aly diz que a preocupação existe porque, embora pareça um problema local, a dinâmica do trabalho nas lavouras da região envolvem a movimentação intensa de trabalhadores. “Não são mão de obra fixa, trabalham em diferentes municípios dessa microrregião. Quem colhe em Cândido Rodrigues, colhe em Taquaritinga, em Monte Alto, em Jaboticabal, uma hora está na cana, outra na fruta. Ele anda na região. Há relatos de que é comum ver esse pessoal fazendo a colheita sem máscaras e sem distanciamento social”, diz.

Os relatos e o comportamento do prefeito de Taquaritinga, mostram a imagem de total descontrole e incompetência que têm as autoridades do município de Cândido Rodrigues na região. Os boletins epidemiológicos publicados pela Prefeitura explicam em parte essa desconfiança. As pessoas em isolamento domiciliar por suspeita da doença foram separadas das que estão em monitoramento, como as que estavam no velório; e quem testou positivo para covid-19 está junto com os seus parentes e com as pessoas com quem tiveram contato. Para chegar aos 10 moradores contaminados informados pelo IBGE, é preciso somar os casos internados (1), confirmados (7) e curados, o que indica que a prefeitura subtrai os casos em que a pessoa se curou, do número total de contaminações do município. E essa confusão nas informações, e as medidas de controle diferentes e erráticas, segundo Aly, levou o prefeito a criar as barreiras. “É uma ação um pouco desesperada, sem respaldo técnico científico para definir uma melhor maneira de atuar. A gente tem um sistema de vigilância de saúde do trabalhador que poderia assessorar esses prefeitos”, diz o engenheiro agrônomo que estuda áreas de produção diversificada inseridas em regiões canavieiras.

BARREIRA: Prefeitura de Taquaritinga fechou os dois acessos para Cândido Rodrigues

De terça-feira, quando a prefeitura de Taquaritinga fechou as estradas, para quarta-feira, o estado de São Paulo registrou  12.187 novas contaminações por covid-19. É o dobro do último recorde, em 28 de maio, quando foram registrados 6.382 casos em 24 horas. De quinta para sexta surgiram mais 5.717 casos.

Contaminação explode no Estado

O físico Domingos Alves, professor no Departamento de Medicina Social da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto-USP, especialista em sistemas de informação em saúde, diz que essa explosão é o resultado da situação de Taquaritinga, que se repete em todo o Estado. “A restrição de mobilidade é de mentirinha, sempre foi, agora inclusive com essa ideia de fazer um relaxamento. Os trabalhadores nunca tiveram apoio nenhum para se manter em isolamento, inclusive eles são os primeiros a se revoltar contra as medidas de restrição, porque precisam trabalhar. Isso só aumenta o número de casos e de óbitos em cada região”, diz.

Domingos é um dos pesquisadores reunidos no grupo de pesquisa COVID-19 BRASIL E que assinam nota técnica mostrando que os argumentos para reabertura da economia em São Paulo são mentirosos e distorcem a real situação da pandemia.

Leia aqui

Ouça os áudios

"Travou! Se você precisar vir pra esses lados, vem não!"

SURTO: Em Cândido Rodrigues, ruas higienizadas e escolas vazias

Cândido Rodrigues inicia busca ativa

A prefeitura de Cândido Rodrigues iniciou na quinta-feira, o monitoramento ativo de toda a população e também instalou barreiras sanitárias nas entradas da cidade. Foi organizado um mutirão com profissionais das áreas da saúde e da educação, que irão buscar informações sobre o'estado de saúde de cada morador e de seus familiares por telefone. Cícera Valencio, secretária municipal da saúde, justifica a ação como uma forma de acompanhar mais de perto os casos em que há suspeitas da doença. “Esta medida nos ajudará a ter um panorama mais preciso sobre o estado de saúde da população e evitar a proliferação da doença no nosso município”. O problema é que, como ocorre com as barreiras de Taquaritinga, pode não dar certo. “Se esses trabalhadores (contaminados assintomáticos) forem contratados para a

colheita, vão levar o vírus”, diz Osvaldo Aly Júnior, que considera necessário uma intervenção do ponto de vista de saúde e agricultura, com um isolamento social que garanta a colheita e a saúde dos trabalhadores. E sugere a busca ativa, como faz a prefeitura de Cândido Rodrigues com a sua população, porém nas áreas de moradias dos trabalhadores, ou nos ônibus que levam esses trabalhadores para a colheita. “Para ver como estão indo, a situação de transporte, como fazem a colheita”, incluindo testes rápidos e assistência financeira para quem tiver de parar de trabalhar. “Considero que as autoridades deveriam criar brigadas médicas para ir a campo fiscalizar os sistemas de transporte e trabalho, criar procedimentos de orientação de afastamento de quem está doente, para garantir que isso não impacte no abastecimento interno de alimento”, afirma.

DESINFORMAÇÃO: Boletins de Cândido Rodrigues subtraem os casos curados do total de contaminados

ARQUIVO DE NOTÍCIAS

logotranspmini.gif

MÍDIAS

27/março/2020

25/março/2020

25/março/2020

25/março/2020

25/março/2020

09/março/2020

03/março/2020
02/março/2020
21/fevereiro/2020
7/fevereiro/2020
27/janeiro/2020
29/dezembro/2019
11/dezembro/2019

Organização

Associação Brasileira de Advogados e Advogadas Sindicais (ABRAS)

Departamento Intersindical de Estudos e Pesquisas de Saúde e dos Ambientes de Trabalho (DIESAT)

Departamento de Direito do Trabalho e da Seguridade Social da Faculdade de Direito da USP

Produção executiva

Instituto Macuco (www.institutomacuco.com.br)