Pandemia

24 de abril de 2020

Prefeitura promete, novamente, garantir EPIs

e manitoramento da saúde de servidores 

Na Vila Alpina - chegam caixas de biossegurança para cemitério vertical. 

00:00 / 01:22

João Batista Gomes, secretário de imprensa do Sindsep, fala sobre treinamento de sepultadores

EM ALTA - O quadro acima mostra a distribuição dos casos de mortes por covid-19 até ontem (23/04), quando foram registrados 407 novos casos em 24 horas. O número pode espelhar a entrada de casos mais antigos, que estavam a espera de confirmação. Hoje, o total divulgado pelo boletim epidemiológico do Ministério da Saúde chegou a 52.995 diagnosticados,  até as 14 horas, com 3.670 mortes. Foram 3.503 novos casos e 357 novos óbitos em 24 horas. Apesar da pequena redução no número de mortes entre ontem e hoje, a tendência ainda é de aumento, de contaminações e mortes. Nos Estados, a maioria dos governadores que pretendiam relaxar o isolamento social, voltaram atrás.

Número de mortes bate recorde no Brasil e em São Paulo, o prefeito Bruno Covas anuncia que está abrindo 13 mil covas nos cemitérios da cidade.

 No dia em que as mortes por covid-19 deu um salto, de pouco mais de 200 para 407 novos óbitos em 24 horas no País, a Prefeitura de São Paulo, epicentro da pandemia, anuncia a abertura de 13 mil sepulturas nos cemitérios da cidade: 8 mil no Vila Formosa até amanhã, sábado (25/04), 2 mil na Vila Nova Cachoeirinha e 3 mil no Cemitério São Luís (cerca de 3 mil). O Plano de Contingenciamento Funerário anunciado ontem inclui aumento na frota de veículos para traslado de corpos, de 36 para 56 veículos, liberação de sepultamentos noturnos e um crédito suplementar de R$ 39.402.176,00.   À tarde, o secretário de imprensa do Sindicato Municipal dos Servidores de São Paulo (Sindsep), João Batista Gomes, gravou um vídeo mostrando o descarregamento de um grande número de caixas de biossegurança, indicadas para o sepultamento de vítimas de covid-19, no Cemitério São Pedro, na Vila Alpina, provavelmente para a construção de um cemitério vertical.

 Mais tarde, em reunião realizada entre a Secretaria Municipal de Saúde, Sindsep e Justiça por determinação da juíza responsável por julgar a ação civil pública ajuizada pelo sindicato há um mês, a administração municipal se comprometeu a criar mecanismos para aumentar a transparência nas ações de compra e distribuição de EPIs, que continuam chegando em quantidade insuficiente e com baixa qualidade, e também com relação ao número de servidores afastados por suspeita de terem adoecido e de mortes diárias de forma geral. Na coletiva em que divulgou o Plano de Contingenciamento, o prefeito Bruno Covas informou que a média diária de mortes está perto de 300 e que há indicações de que pode chegar a 400, mas não forneceu um quadro que possibilite entender a velocidade em que isso ocorre.

 A Prefeitura já contratou 220 sepultadores terceirizados e está contratando mais 200

para os enterros noturnos, autorizados para “evitar o colapso funerário que se vê em Manaus”, mas o Sindsep denuncia atraso e falhas no treinado desses profissionais (ouça áudio ao lado). Na reunião da tarde, que contou com a presença de técnicos das secretarias de Saúde, Autarquia Hospitalar Municipal (AHM), Hospital do Servidor Público Municipal (HSPM), Coordenação de Vigilância em Saúde (Covisa), Serviço Funerário Municipal e com acompanhamento do promotor Arthur Pinto Filho, da Promotoria de Saúde Pública do Ministério Público de São Paulo, a SMS se comprometeu a melhorar o sistema de identificação e afastamento de servidores com suspeita da doença, ou que façam parte do grupo de risco, garantindo a transparência e a possibilidade de acompanhamento do sindicato desse processo.

 Sobre a questão do equipamentos de proteção individual (EPIs) e testes, foi criado um sistema de acesso a dados de qualidade, quantidade e distribuição, de forma a permitir que o sindicato acompanhe o processo desde o momento da compra e do recebimento de doações, até a chegada nas unidades de trabalho. A Covisa também prometeu divulgar no Diário Oficial, um link com o endereço da internet onde ficam armazenados todos os protocolos sobre tipos de EPIs por função, tempo de uso e descarte desses EPIs, facilitando a identificação e correção de eventuais problemas. As informações serão atualizadas a cada 10 dias.

 O departamento de Relações Humanas se comprometeu a criar um painel de monitoramento de trabalhadores doentes em todas as secretarias, com o número de testados, casos confirmados com covid-19, suspeitos e falecimentos, incluindo trabalhadores de organizações sociais e que prestam serviço com contrato terceirizado. O Sindsep está pedindo que a ação civil pública não seja extinta antes que possa verificar o cumprimento de todas as medidas definidas nesse acordo.

ARQUIVO DE NOTÍCIAS

logotranspmini.gif

27/03/2020

25/03/2020

25/03/2020

25/03/2020

09/03/2020

02/março/2020
21/fevereiro/2020
7/fevereiro/2020
03/março/2020
27/janeiro/2020
29/dezembro/2019
11/dezembro/2019

Organização

Associação Brasileira de Advogados e Advogadas Sindicais (ABRAS)

Departamento Intersindical de Estudos e Pesquisas de Saúde e dos Ambientes de Trabalho (DIESAT)

Departamento de Direito do Trabalho e da Seguridade Social da Faculdade de Direito da USP

Produção executiva

Instituto Macuco (www.institutomacuco.com.br)